A Beautiful Lie comemora 13 anos de lançamento

Dia 30 de agosto de 2005, 30 Seconds To Mars lançou seu segundo álbum de estúdio entitulado A Beautiful Lie, mal eles sabiam que o sucesso mundial estaria batendo em sua porta neste fatídico dia. A Beautiful Lie não é um simples álbum e muito menos apenas o segundo álbum de estúdio do Thirty Seconds To Mars. Este álbum foi considerado o quarto dos melhores álbuns da década (2000-10) pela aclamada Kerrang! e até hoje está no top melhores álbuns de todos os tempos e dentre os mais populares.

Em comemoração à esse memorável álbum, listamos algumas curiosidades e informações na trajetória desse álbum maravilhoso que marcou uma geração inteira e abriu portas para o Mars no mundo inteiro. Confira.


A Beautiful Lie é o segundo álbum de estúdio do Thirty Seconds to Mars. Foi lançado em 30 de agosto de 2005 pela Virgin Records e produzido por Josh Abraham. O álbum tem quatro hits mundiais que são pedidas até hoje na mídia: “Attack”, “The Kill”, “From Yesterday” e “A Beautiful Lie”; três desses quatro singles conseguiram figurar entre os 30 primeiros no US Modern Rock, com “The Kill” e “From Yesterday” entrando nos três primeiros lugares.

O álbum recebeu críticas positivas, muitos elogiando o álbum como um novo som desde seu álbum de estreia. O sucesso do álbum ajudou a banda a receber elogios por seus singles como “The Kill” e “From Yesterday”.

A Beautiful Lie difere notavelmente do selftitled (o primeiro álbum) da banda, tanto musicalmente quanto liricamente. Enquanto as letras do álbum de conceito homônimo se concentram na luta humana, racional e si próprio, as letras de A Beautiful Lie são “pessoais e menos cerebrais”. Além disso, este é o primeiro a apresentar o guitarrista Tomo Miličević e o baixista Matt Wachter como membros oficiais da banda, Matt deixou a banda em 2007. 

A Beautiful Lie foi gravada em quatro continentes diferentes, cinco países distintos ao longo de um período de três anos para se adaptar a carreira de ator do vocalista Jared Leto. A faixa-título do álbum, assim como três outras músicas, foram compostas em Cape Town, África do Sul, onde Leto foi mais tarde recebido por seus colegas de banda para trabalhar nas outras faixas. Foi nessa época que Leto concebeu o título do álbum. Antes disso, o álbum foi provisoriamente lançado sob o título de “Battle Of One”, mas acabou vazando nos torrents e servidores de download de arquivos (na época era muito usado para baixar músicas gratuitamente pois não havia nenhum tipo de stream, emule, 4shared e Shareaza são um exemplo destes servidores), quase cinco meses antes de seu lançamento programado; a versão do álbum que vazou foi invalidado e por causa disso, a banda foi forçada a atrasar a data de lançamento oficial.

Para não perder o mercado com o vazamento do álbum, Thirty Seconds to Mars incluiu as faixas “Battle of One” e um cover da Bjork chamada “Hunter”  como faixas bônus da nova versão do álbum e “Golden tickets” também foram incluídos em três das versões especiais do álbum que autorizavam a entrada gratuita dos compradores nos shows da época e o acesso aos bastidores de qualquer show do Thirty Seconds to Mars pelo resto daquela Era.

A Beautiful Lie vendeu 21.000 cópias em sua primeira semana de lançamento nos EUA e passou a vender mais de 1,2 milhões de cópias apenas nos EUA. 

Versões alternativas:

Edição Deluxe – Em 26 de novembro de 2006, uma edição especial de A Beautiful Lie foi lançada e apresenta artes de capas diferentes e também uma terceira faixa bônus (todas as versões têm pelo menos duas); a versão britânica da música “The Kill” intitulada “The Kill (Rebirth)”, e um DVD contendo o videoclipe de “The Kill”, a produção do clipe, performances ao vivo e entrevistas para a MTV2 a banda.

Antes da produção do Deluxe Edition, a banda solicitou que o Echelon enviassem seus nomes para que pudessem serem agradecidos pelo apoio ao longo dos anos, fazendo disso uma espécie de mural nas capas internas da versão Deluxe, a qual contém uma grande lista de nomes de fãs impressos. Além disso, a capa contém uma imagem híbrida que consiste na mithra (fênix) e trinity (caveiras).

Relançamento de 2007 – A Beautiful Lie foi relançada em 26 de novembro de 2007, após longas turnês por toda a Europa, em uma tentativa de se expor a um público maior. O relançamento é essencialmente o mesmo que o lançamento original, embora inclua artes diferentes. O álbum foi re-lançado na Irlanda em novembro de 2007, a versão contém a faixa The Kill na edição britânica, uma segunda faixa bônus e uma versão acústica da música “A Beautiful Lie” gravada ao vivo em uma rádio.

Críticas: 

Beautiful Lie recebeu críticas positivas. Jon Wiederhorn, do Revolver, notou que “intensidade e paixão claramente informam o hard rock textural de A Beautiful Lie, que possui riffs ressonantes, notas do baixo temperamentais e fortes melodias vocais que evocam uma mistura de Staind, Nine Inch Nails, U2, e The Cure.” Jaan Uhelszki do San Francisco Chronicle descreveu o álbum como “eletrônicos, solos de guitarra super energéticas e batucadas combinadas com letras inteligentes, frágeis, mas emocionalmente austeras.” é um álbum digerível sem perder o apelo áspero que os fãs da banda está expandindo rapidamente. Alternative Addiction comentou que a banda gravou “um álbum com faixas muito impressionantes”. começando com “Attack”, a primeira música do álbum, que “soa sonoramente com o processamento de vocais mistos e fortes”

Christa L. Titus, da Billboard, achou que a banda “provou sua potência” com canções como “The Kill”, “Was it a Dream” E “From Yesterday”, e elogiou a habilidade vocal de Leto escrevendo: “ele alterna entre gritos e sussurros tentadores que mostram sua capacidade e seu alcance vocal.” Kaj Roth de Melodic elogiou a variedade sonora e resumiu o álbum como “uma lista impressionante de canções anthemic.” Davey Boy of Sputnikmusic ecoou sentimento, escrevendo que A Beautiful Lie “funciona bem como um álbum devido a variedade”. Ele também achou o disco “um esforço mais controlado” do que o álbum de estreia. Kerrang! chamou de “um grande álbum para fechar os olhos e cair em uma erupção de emoção”.

Em uma revisão mista, Stephen Thomas Erlewine, da AllMusic, escreveu que “a banda flutua fora do tempo, inspirada fortemente pelo rock alt dos anos 90, mas muito limpa, pesada e fácil de ser parte dessa tradição, mas muito endividada com o passado”. Soa como parte dos anos 2000, também.” Ele achou que a banda é “capaz de mudar de versos tensos para melodias e coros pesados, mas eles pegam emprestado os piores hábitos de todos sas suas bandas favoritas, e então são insuficientemente sérios, tocando clichês como se fossem revelações.” Christian Hoard, da Rolling Stone, afirmou: “Apesar de algumas músicas credíveis de rock moderno, a miopia auto-envolvida de Leto garante que o segundo disco de sua banda é um longo melodrama.”

Elogios:

No Billboard Music Awards, “The Kill” e “From Yesterday” foram indicados na categoria de Modern Rock Single do Ano em 2006 e 2007, respectivamente. Em 2007, A Beautiful Lie foi eleito o Melhor Álbum de Rock no on Request. O Mars recebeu o prêmio Kerrang! de Melhor Single em dois anos consecutivos para “The Kill” e “From Yesterday” em 2007 e 2008. O Metal Edge classificou A Beautiful Lie como um dos 10 melhores álbuns de 2005. Melodic incluiu o álbum entre os melhores do ano. O Alternative Addiction classificou-o no sexto lugar na lista dos 20 melhores álbuns do ano. Em 2009, a Kerrang! listou A Beautiful Lie no número quatro em sua lista dos 50 melhores álbuns da década. O álbum foi incluído na lista 101 Modern Classics do Rock Sound no número 78.

Ouça A Beautiful Lie (versão oficial)

A Beautiful Lie teve até uma versão brasileira que teve incluído oficialmente a versão The Kill cantada em parceria com a cantora Pitty. Ouça também abaixo.

A Beautiful Lie Charts

Charts semanal de 2005 Maior posição
Australian Albums (ARIA) 20
Austrian Albums (Ö3 Austria) 10
Belgian Albums (Ultratop Wallonia) 96
Czech Albums (ČNS IFPI) 35
Dutch Albums (MegaCharts) 31
Finnish Albums (Suomen virallinen) 15
French Albums (SNEP) 87
German Albums (Offizielle Top 100) 30
Greek Albums (IFPI) 40
Irish Albums (IRMA) 76
Italian Albums (Musica e dischi) 8
Mexican Albums (Top 100 Mexico) 20
New Zealand Albums (RMNZ) 20
Portuguese Albums (AFP) 23
Swiss Albums (Schweizer Hitparade) 49
UK Albums (OCC) 38
US Billboard 200 36
US Rock Albums (Billboard) 9

Charts anuais

Charts 2006 Maior posição
US Billboard 200 184

 

Charts 2007 Maior posição
Austrian Albums (Ö3 Austria) 72
Italian Albums (FIMI) 63
US Billboard 200 84
US Rock Albums (Billboard) 20

Certificados

Região Certificado Cópias vendidas
Australia (ARIA) Ouro 35.000
Canada (Music Canada) Ouro 50.000
Germany (BVMI) Ouro 100.000
Italy (FIMI) Platina 80.000
South Africa (RiSA) Ouro 20.000
United Kingdom (BPI) Ouro

100.000

Histórico de lançamentos

Região Data Formato
EUA 30 de Agosto de 2005 CD, LP, digital download
Canada 30 de Agosto de 2005 CD, LP, digital download
Japão 7 de Dezembro de 2005 CD, digital download
Australia 11 de novembro de 2006 CD, digital download
Itália 14 de fevereiro de 2007 CD, digital download
Austria 15 de fevereiro de 2007 CD, digital download
Alemanha 15 de fevereiro de 2007 CD, digital download
Holanda 16 de fevereiro de 2007 CD, digital download
Reino Unido 26 de fevereiro de 2007 CD, digital download
Nova Zelândia 26 de fevereiro de 2007 CD, digital download

Créditos de criação de A Beautiful Lie

Thirty Seconds To Mars

  • Jared Leto – vocal, guitarra, programação
  • Shannon Leto – bateria, percussão
  • Tomo Miličević – guitarra, sintetizadores
  • Matt Wachter – baixo, sintetizadores

Músicos adicionais

  • Miguel Atwood-Ferguson – violão na faixa 10
  • Caroline Campbell – violino na faixa 10
  • Steve Dress – arranjo e contrabaixo na faixa 10
  • Vanessa Freebairn-Smith – Violoncelo na faixa 10
  • Oliver Goldstein – sintetizador adicional nas faixas 1, 6–7
  • Neel Hammond – violino na faixa 10
  • Wataru Hokoyama – arranjo na faixa 10
  • Jeremy Rubolino – programação na faixa 12
  • Matt Serletic – piano na faixa 3

Produção

  • Josh Abraham – produção das faixas 1–10
  • Thirty Seconds to Mars – produção; criação e design
  • Brian Virtue – produção das faixas 3, 11–12; engenharia adicional; mixagem nas faixas 11–12
  • Ryan Williams – engenharia; mix
  • Brandon Belsky – engenharia assistente
  • Tom Lord-Alge – mixagem na faixa 1
  • Femio Hernandez – assistente de mixagem
  • Dave Riley – assistente de engenharia
  • Sean Geyer – assistente de engenharia
  • Brian Gardner – direção
  • Sean Mosher-Smith – diretor de criação e design
  • Olaf Heine – fotografia
  • Gary Stiffelman – termos
  • Irving Azoff – agente
  • Dian Vaughn – agente de negócios
Publicado por Bianca em 31/ago/2018

COMENTÁRIOS