Em ode ao amor dos fãs brasileiros, 30 Seconds to Mars reconquista SP no primeiro show da Monolith Tour!

Banda liderada por Jared Leto retorna ao Brasil para turnê solo de forma triunfal apresentando seu novo álbum, “America”

(Redação/Edição: Matheus Izzo – Jared Leto Brasil)

A última vez que o Thirty Seconds to Mars se apresentou em SP foi no ano de 2014, enquanto a banda fazia a turnê do seu álbum mais recente até então, “Love, Lust, Faith + Dreams”, de 2013. No mesmo Espaço das Américas, a banda voltou à maior cidade do país com certa apreensão, já que agora o “30STM” é formado apenas pelos irmãos Jared e Shannon Leto.  Trazendo ao Brasil a “MONOLITH TOUR” em divulgação de seu novo álbum, “AMERICA”, a agora dupla americana se apresentou na capital paulista na noite desta quinta-feira, (27).

Jared, já conhecido por suas performances intensas nos shows, subiu ao palco inteiramente vestido de sua marca favorita, Gucci, lembrando uma espécie de líder religioso (de fato) prestes a iniciar seu próprio culto, enquanto Shannon já cuidava da bateria durante intro da apresentação com “Monolith”, uma espécie de interlúdio de seu trabalho mais recente.

(Foto: Yuri Milicevic – instagram.com/yurimilicevic)
(Foto: JaredLeto.com.br / @vemdegrade)

Com presença de palco energética e quase inigualável, Jared se torna um titã ao lado de seu irmão assim que ambos começam a performar um dos maiores sucessos da carreira, “Up in the Air”. Público vai a loucura e quase não se ouve a voz do vocalista, já que as quase 8 mil pessoas presentes no local ecoavam os gritos de “ô o o ohhh, oh oh oh oh” a todo momento. E isso se estendeu durante toda a apresentação.

Muitos devem se questionar como a banda soa ao vivo agora que não possui mais um guitarrista fixo. A melhor resposta que se pode obter quanto a isso é o calor e a loucura do público ao ver uma apresentação resumida em energia, voz, bateria, baixo e batidas/samples eletrônicas. Não que soe como um festival de EDM, longe disso, mas que preenche os vazios que pudera serem deixados após a saída de Tomo. Stevie, músico de apoio da banda, é muito competente em suas linhas de baixo e também ajuda nos backing vocals.

(Foto: Yuri Milicevic – instagram.com/yurimilicevic)

As já conhecidas e clássicas “Kings and Queens” e “This is War”, que possuem mensagens fortes e identidade visual marcante com seus respectivos vídeos, explode nos ouvidos e nas vozes das quase 8 mil pessoas ali presentes, enquanto bolas coloridas enormes passeiam por cima dos fãs durante as canções.

(Foto: JaredLeto.com.br)

Do novo álbum, “Dangerous Night” já estava na ponta da língua de todos. Com refrão fácil e pegajoso, a canção que fala sobre um conflito amoroso foi uma das queridinhas da galera durante a apresentação, que logo depois contou com um dos singles de maior sucesso da carreira do grupo e que é marca registrada da fase mais “rock” do Thirty Seconds: “From Yesterday”. Fãs mais antigos ensandecidos berrando a plenos pulmões um clássico.

Na metade do espetáculo – sim, espetáculo, já que Jared Leto sabe (e MUITO) como entreter uma plateia com sua voz poderosa enquanto corre de um lado pro outro em constante contato com os fãs, dando declarações de amor, fazendo perguntas e provocações enquanto seu irmão não para no comando das baquetas – a emoção toma conta do EDA em “Do or Die”, que é seguida por uma tentativa de performance de “Love is Madness”, uma das músicas mais ouvidas do novo álbum e que contém participação da cantora Halsey. Talvez tenha sido pela falta da voz feminina já conhecida que essa possa ter sido a canção menos aclamada da noite.

“Hail to the Victor”, nova canção que rapidamente remete ao EDM e que contém muitas batidas eletrônicas de Shannon, que possui ao lado de sua bateria um octapad – simulando os beats feitos pelo computador no álbum – não é a cara da banda mas funciona demais quando o assunto é colocar todo mundo pra dançar. Com o público em suas mãos desde a primeira canção, a banda desacelera um pouco o ritmo com a charmosa “City of Angels”. Só que a calmaria não dura por muito tempo.

(Foto: Yuri Milicevic – instagram.com/yurimilicevic)

Após alguns segundos, o maior sucesso do grupo atualmente toma conta da casa de show localizada na Barra Funda e coloca de novo a temperatura no nível mais elevado. “Rescue Me”, canção sobre luta, dor, aceitação e liberdade, é cantada INTEIRAMENTE por todo o público, que com certeza guardará esse momento na memória durante muito tempo. No segundo verso, o vocalista diz que possui uma participação nacional especial a ser feita na canção e chama ao palco o rapper PROJOTA, com quem já se apresentou no Rock in Rio do ano passado. Com rimas coesas, o artista brasileiro não deixa o ritmo da canção e do público cair e até solta um ou dois palavrões fazendo a galera pirar. Um dos grandes destaques da noite.

(Foto: Iwi Onodera/BrazilNews)
(Foto: Iwi Onodera/Brazil News)

Caminhando para o fim, o Thirty Seconds to Mars performa “Hurricane”, outro clássico do grupo que geralmente é apresentado ao vivo de forma acústica… o que não aconteceu dessa vez. Jared brincou com a plateia e dedicou a canção ao público brasileiro. Mais uma homenagem da banda aos fãs mais antigos.

Alguns segundos se passam, todas as luzes se apagam e por alguns momentos o público não sabe o que está acontecendo… até que os primeiros acordes de “Remedy”, canção escrita e cantada inteiramente por Shannon e que, provavelmente, é a mais querida do novo álbum, tomam conta de todo o espaço e o público vai a loucura, já que essa seria a primeira vez que Shannon cantara no Brasil. Com um talento na voz impressionante que se sobressai ao violão de fundo/base, o baterista conquista por completo os fãs presentes no local que já tinham a letra da música 100% na ponta da língua e se entrega aos braços de todos. Outro grande ponto alto da noite, se não o maior.

(Foto: JaredLeto.com.br)

A partir daí, a festa já conhecida realizada pelo 30 Seconds to Mars. Jared volta com roupa trocada e boné, correndo de um lado pro outro, focando na fórmula infalível de canções com muitos refrões pegajosos e coros formados por “oooh oh ooooh”, com exceção de “The Kill”, outro clássico da fase mais antiga do grupo. “Live Like a Dream” e “Walk on Water” também já são queridinhas do grande público antecedem a última e mais adorada canção da banda dos irmãos Leto: “CLOSER TO THE EDGE”.

(Foto: Iwi Onodera/Brazil News)

Loucura total. Jared chama o ganhador de uma promoção publicitária para tocar guitarra e logo após pergunta ao público quem quer subir ao palco para cantar junto com ele a última música da noite. Milhares de pessoas subindo uma em cima da outra, pulando, se empurrando… até que quase 50 pessoas são chamadas pra cima e cantam com a banda o fim de uma ode ao amor aos fãs brasileiros.

Em apresentação muito esperada após 4 anos, casa cheia e público ensandecido, Jared e Shannon Leto se provam sólidos como banda, juntos, mesmo sem o formato tradicional de uma grupo de rock alternativo. Com fórmula pronta e perfeita para a realização de um espetáculo, Jared, que também é ator, comandou quase 8 mil pessoas numa noite de quinta-feira chuvosa em São Paulo e conseguiu dar, mais uma vez, mesmo que momentaneamente, a certeza de que sonhos são possíveis de se realizar e que a música e o amor, definitivamente, são duas das coisas mais poderosas do planeta. 

(Foto: Yuri Milicevic – instagram.com/yurimilicevic)

Não se sabe qual é o futuro do Thirty Seconds to Mars, mas enquanto houverem corações de fãs brasileiros batendo por aí… temos a certeza de que eles sempre terão um lugar para voltar.

SETLIST:

01. Monolith

02. Up In The Air

03. Kings and Queens

04. This is War

05. Dangerous Night

06. From Yesterday

07. Do or Die

08. Love is Madness

09. Hail to the Victor

10. City of Angels

11. Rescue Me

12. Hurricane

13. Remedy

14. Live Like A Dream

15. The Kill (Bury Me)

16. Walk on Water

17. Closer to the Edge

A banda ainda se apresenta em Porto Alegre sábado, (29), e Curitiba, (30). 

Informações sobre ingressos e horários: clique aqui.

Publicado por Bianca em 28/set/2018

COMENTÁRIOS