Entrevista: “Imagino uma pessoa capaz e perdoadora, que defende dignidade, força, honra, bondade.” Jared para GQ Espanha

Na edição de aniversário de 25 anos da GQ Espanha, e em comemoração, Jared estampa a capa da edição de colecionador.

Além dessa edição trazer uma entrevista exclusiva, também vem repleta de novas imagens do Jared. Abaixo, segue a conversa com o Jared sobre criatividade e onde ele se imagina estar daqui há 25 anos.

Ator, músico, diretor e, especialmente, uma alma livre. Jared Leto é tudo isso. Protótipo de cavalheiro moderno e um exemplo vivo da evolução positiva do modelo masculino. Ninguém melhor que ele para estar na capa (vestido, obviamente, de Gucci) do nosso número especial de 25 anos. A sessão de fotos, com a realização de nossa diretora de moda Joana de la Fuente, aconteceu em sua casa em Los Angeles e, para essa ocasião, o fotógrafo Cameron McCool optou por usar um estilo antigo de filme que foi armazenado por anos para obter um visual vintage único (e analógico).

O ator, diretor, músico e embaixador de Gucci Guilty nos recebe em sua casa em Los Angeles para explicar como ser uma alma livre na indústria cultural mais importante do mundo.

A melhor maneira de começar um texto, sempre, é roubar a primeira frase de outra. Por isso, peço a Jared Leto permissão para usar um pedaço de uma das músicas do Thirty Seconds to Mars: “Deite-se acordado na cama à noite e pense em sua vida. Você quer ser diferente?”. O verso, que abre a música Beautiful Lie, pode ser a primeira coisa que passa pela sua cabeça quando você o conhece. Não há outra pessoa como ele. É impossível. Uma noite ele decidiu abraçar a diferença e lá ficou. Imagine que cada letra, cada olhar, cada acorde, é um tijolo da casa onde ele decidiu se abrigar para sempre.

Jared Leto (Bossier City, EUA, 1971) é ator, músico, diretor, produtor e alma livre. Ele tem uma banda de rock alternativa há mais de 20 anos; ele foi vencedor de um Oscar, Globo de Ouro e SAG; em uma mesinha da casa, ele tem sua cabeça em uma urna de vidro. “Eu tenho; é verdade. Tudo começou depois de ver a Gucci desfilar há alguns meses – outono / inverno 2019 – onde os modelos apareceram com aquelas cabeças protéticas. Pensei: ‘É interessante, por que não brincar junto?’, Então sugeri a Alessandro Michele [diretor criativo da empresa]. Ele adorou e trabalhamos duro com vários engenheiros na Itália para fazer isso. ”Foi assim que Jared apareceu no tapete vermelho do MET, vestido com Gucci… e com a cabeça na mão. Explosão da Internet. “Talvez um dia possa estar em um museu da Gucci”, diz ele.

Seu relacionamento com a marca e Michele já parece lendário. “Tudo começou depois que nos encontramos em Los Angeles e vimos que tínhamos em comum a mesma maneira de ver as coisas: nós dois dedicamos nossas vidas a criar”. Desde então, eles vivem uma espécie de “aventura compartilhada” que também se estende ao lançamento de várias campanhas. Um deles é o perfume Gucci Guilty, que Leto estrela ao lado de Lana del Rey. “Foi incrível fazer isso; na verdade, filmamos parte disso na varanda da minha casa.”. No anúncio, os dois parecem brincalhões e próximos enquanto caminham pelo supermercado ou andam com tigres. Um dia normal, um encontro romântico padrão. “Bem, talvez se fosse na África…”, brinca o ator, embora sempre mantenha um certo ar sério, sem risadas forçadas.

A verdade é que a Gucci é um sucesso inesperado (ou não) que revolucionou a moda masculina nas últimas temporadas. Michele dinamizou os clichês: o exagero pode ser elegante; homens e mulheres podem compartilhar seus códigos de vestimenta. “São as ideias certas, na hora certa. Agora é a hora. Michele e Gucci decidiram que é hora de ser corajoso e explorar. E o mundo estava preparado para ouvir exatamente isso”, analisa Jared. É o que acontece, mas também o momento em que acontece. No final, nossa forma é criada por outros.

Como resultado, Jared acrescenta às suas habilidades a ideia de influenciar e criar universos da moda. Alguma outra ramificação artística que ele não tenha mostrado? “Bem, talvez não que eu não tenha mostrado. Eu estudei na Escola de Arte. Eu sempre amei pintar, por exemplo. Não acredito na arte como uma ou mais disciplinas, mas como um caminho.”. A verdade é que Jared pode ser considerado um artista total e sua conexão com o negócio do entretenimento é como um relacionamento de amantes improváveis. Hollywood de um lado; Jared no outro. “Eles não dão Oscars a pessoas como eu”, disse ele quando recebeu o prêmio por seu papel no Dallas Buyers Club (2013). O enfeites contra a integridade. Jasmim e cigarros. Ele seria a flor: “O conflito existe”, diz Jared depois de pensar na resposta por alguns segundos. “Por um lado, há o negócio e, por outro, a arte. Mas a chave é ouvir a si mesmo, seu coração, sua mente. O que você realmente quer fazer? Uma parte de tudo isso é produtiva, funciona e permite que você faça as outras coisas que realmente deseja. É uma questão de equilíbrio.”. Ele usa sua posição em Hollywood, as vantagens dos negócios, para também fazer coisas comprometidas e alcançar outras pessoas.

E ele se arrisca. Sempre. Certo, Jared? “Olha, nunca me importei com minhas decisões criativas implantarem riscos. É um absurdo não correr riscos. Coisas grandes, coisas que realmente podem mudar alguma coisa, sempre surgem após uma decisão corajosa, não há outra maneira de fazê-lo.”. O ator também reconhece que nunca teve problemas com esse modo de ser, que nunca se sentiu “estranho ou preso” por sua arte. Sempre haverá “uma audiência que aplaude e está com você” quando sua criação é pura e verdadeira. Com sua banda, Thirty Seconds to Mars, com a qual ele subiu ao palco por duas décadas, acontece a mesma coisa. “Somos uma banda alternativa e meu irmão e eu sempre conversamos sobre a mesma coisa: continuaremos fazendo isso enquanto tivermos paixão. É isso aí.”.

Jared Leto é mostrado como o exemplo perfeito daquele cavalheiro que ainda aparece no título da GQ. Pode não ser o mesmo hoje como era há 25 anos, pode não ser o mesmo que era no início dos anos 50, quando a revista começou a funcionar como a conhecemos hoje. De fato, como é esse cavalheiro da nova era? “Imagino uma pessoa capaz e perdoadora, que defende dignidade, força, honra, bondade. Tenho uma visão otimista do cavalheiro do novo século”, confessa. Perfeito para celebrar o nosso casamento de prata.

E onde estava Jared há 25 anos e onde ele pensa que estará em 25 anos? “25 anos atrás, toquei música e agi. Eu tive sonhos. Eu estava começando meu caminho na criatividade. Em 25 anos, posso estar morto e não quero me arrepender de não ter vivido com coragem.” Boom.

Pensamos muitas vezes que medir o tempo é quase impossível. Que é sempre tarde para vê-lo chegar e logo para vê-lo sair. Entendemos o tempo, no final, apenas como o tempo era. Para Jared Leto, o relógio está quebrado. O físico, o mental, o criativo. Quebrado. Não importa. E essa é uma ótima lição de vida.

ATENÇÃO: A CÓPIA TOTAL OU PARCIAL DESSE ARTIGO É TERMINANTEMENTE PROIBIDA.

Tradução: Equipe Jared Leto Brasil

Publicado por Bianca em 06/set/2019

COMENTÁRIOS