Jared informa para o Complex que gostou do desafio da cegueira para Blade Runner 2049

O site Complex entrevistou Jared para saber novidades sobre seu último trabalho como ator no filme Blade Runner 2049, a qual Jared também falou sobre tudo o que aconteceu durante e depois da apresentação do Mars no VMA e sobre o futuro do Coringa que interpreta atualmente no DCEU. Confira:

Desde que retornou de um hiatus, toda a identidade de Jared Leto como ator foi definida como quem mergulha profundamente, mesmo a maioria não saberem da existência dos atores metódicos antes. Não há uma linha de identidade que ele não vai esbarrar, nenhuma transformação física que ele não tomará ou impedirá fisicamente, ele não hesitará em adquirir, de ter um esforço para interpretar o papel com a autenticidade mais profunda possível. Nenhum papel é indigno de seu compromisso, seja isso digno de indicação do Oscar ou franquia de super-heróis. Suas façanhas chegaram a anular as narrativas dos filmes sobre os quais está em serviço, daí por que, apesar de uma mortalha de segredo ultra-espessa que só fez os fãs mais curiosos desejarem por detalhes em torno de sua trama, um dos primeiros tópicos a serem apresentado de Jared Leto é Blade Runner 2049 e como ele realmente se cegou para interpretar um homem cego.

Jared Leto faz o máximo e, em uma primeira semana completa de outono na cidade de Nova York, ele está fazendo a melhor promo para a sequência do que ele me descreve como “seu Star Wars”. Enquanto Ryan Gosling está no SNL, ensaiando para um monte de esboços, Leto fica a uma milha ou mais do centro de The Crosby, uma boutique de hotel tão adorado por publicistas de cinema e música, fazendo uma entrevista depois atrás da outra. Isso, depois de bater no circuito “Late Night” também.

O que se pode esperar? Um ator ostensivamente cansado, potencialmente irritado, já notoriamente saturado, com apenas uma tempo de 10 minutos para entrar, quebrar todo o gelo possível, obter respostas e ir embora? Quando entrei em sua suíte, ele não estava sentado em nenhuma das cadeiras, exausto e saturado. Em vez disso, ele estava encostado, no estilo nativo americano, no peitoril da janela, vestido de ponta a ponta com seu uniforme Gucci, que só ele pode vestir, (flanela de lobo amarela, calça rosa magenta), decididamente sereno, pronto para conversar. Como aconteceu, eu poderia conversar facilmente com Jared Leto, que alguns podem achar ser uma entrevista difícil, por 45 minutos. Muito ruim, pois só tivemos 10.

[lê minha camisa enquanto entro] Não sou um rapper. Nem eu, essa é sempre a minha resposta às pessoas quando elas perguntam.

Complex: Você fez performou com Travis no VMA, como foi isso? Eu senti uma vibração combinada, em termos de show ao vivo. 

Jared Leto: Tomarei isso como um elogio. Foi divertido, foi realmente ótimo. Ele é super doce, um cara muito legal e nós tivemos uma explosão. Após o show, fomos todos bombardeados porque estávamos usando tecnologia militar para capturar nossa performance na escuridão total, basicamente.

C: Parecia um predador

Jared Leto: Era a mesma coisa. Era uma energia térmica, mas aquelas eram câmeras novas e precisávamos obter permissão do governo para usá-las. Então, foi super, super HD, em alta qualidade. Foi realmente difícil de fazer – algumas pessoas acharam que foi falso, que foi pré-gravado. Mas foi totalmente ao vivo, porém parece um pouco estranho porque estava meio atrasado. Mas depois do show estávamos nos bastidores e todos nós estávamos apenas gritando, em êxtase. Eu voltei e vi Travis e meu irmão gritando “yeaaaaa” [com toda a força dos pulmões]. Aquelas foi uma noite divertida.

C: Você é fã de sua música (Travis)? 

Jared Leto: Sim, com certeza. Claro. É ótimo, eu gosto muito dele. Kendrick também foi ótimo. Meu Deus, do jeito que ele… ele age como um artista marcial. Ele é simplesmente um mestre. Como cantor, estava lá observando-o tipo “Cara, eu deveria estar cantando assim”. É tão percussivo, ele está canta com seu corpo inteiro também. É muito legal de assistir.

C: Então, sobre Blade RunnerVocê disse que o original teve um efeito profundo sobre você. De que maneira, exatamente? 

Jared Leto: Eu vi o filme quando eu era criança, nós o tínhamos o VHS, devo ter assistido isso mais de 100 vezes. Era o meu Guerra nas Estrelas, adorei Star War e também a vi no teatro. Mas Blade Runner realmente me atingiu e me levou a um lugar que nunca imaginei. Isso me ensinou sobre cinematografia, atuação, direção, me ensinou sobre música e tudo o que é possível no cinema.

C: Você teve alguma trepidação em entrar em uma sequência que potencialmente poderia alterar o legado do original? 

Jared Leto: Com certeza não, eu fui muito ganancioso querendo outro filme, mesmo que eu não estivesse nele, eu só queria que aquele mundo fosse construído. O roteiro foi ótimo, eu li o script e topei.

C: Saiu recentemente que uma das escolhas originais de Villeneuve para seu personagem, Niander Wallace, era David Bowie. Você sabia para onde estava indo? 

Jared Leto: Não, não sabia, acabei de ver isso ontem. Eu adoraria ter visto David Bowie [como Niander] ele é o Rei.

C: Como se sente retroativamente sabendo que você entrou para preencher esse icônico espaço? 

Jared Leto: Simplesmente estar envolvido com Blade Runner [no todo] é tão surreal, tão bizarro, é uma honra. É uma dessas coisas que você não pode acreditar que é real. Ter sido uma criança, deitada no chão, olhando para a cópia VHS sem parar e estar no set com Harrison Ford nas cenas fundamentais… Em primeiro lugar, cresci com Harrison Ford, que é um herói absoluto. Segundo, com seu personagem, o Deckard, então isso duplica. Foi ótimo, simplesmente uma honra.

C: Você não tem muito tempo de tela, mas sua presença apresenta uma grande sombra sobre a história. 

Jared Leto: Eu fui um extra no filme. Denis [Villeneuve, diretor] é um gênio, não poderia ter ficado melhor do que isso. É o que continuo dizendo às pessoas, esse tipo de coisa não ocorre com muita frequência, onde você tem um diretor, escritor, elenco, cinematografia, um grupo de talentos que estava a bordo para fazer este filme ser absolutamente inspirador, é uma ocasião rara.

C: Uma das maiores anedotas que circunda o filme é sua cegueira no set… Levando em consideração papéis passados ​​como Dallas Buyers Club e Suicide Squad, você só está interessado em assumir papéis nos dias de hoje que oferecem um desafio físico e mental? 

Jared Leto: É uma ótima pergunta. Eu gosto de desafio, não acho que seja muito gratificante e muito bom se não houvesse um grande desafio. Eu só acho que quanto mais íngreme a escalada, maior é a recompensa, eu escalo muito e é a mesma coisa. É bom caminhar, mas não bate escalar uma parede em Yosemite. Isso me atrai.

C: Como você estava cego no set, qual foi sua reação quando você finalmente viu o filme e suas cenas? 

Jared Leto: Eu ainda não vi o filme, então você está um passo à frente de mim. Eu só vi alguns cortes e alguns pequenos clipes, mas estou entusiasmado com isso, mesmo que eu não estivesse no filme, eu ficaria muito feliz que fizeram outro.

C: Você é muito preciso em sua escolha de papel, qual o próximo filme? [*esta entrevista foi realizada antes que as notícias que a biografia de Hugh Hefner foram divulgadas]

Jared Leto: Eu não sei, estou desenvolvendo uma biografia de Andy Warhol e é um sonho trazer Andy para a tela. Estamos escrevendo o roteiro agora e ele foi uma grande inspiração e influência na minha vida. Comecei abandonando a escola de arte, mas eu era pintor e estudava para ser um bom artista, tudo isso enquanto fazia música quando era criança e Andy era uma grande inspiração para mim.

C: E sobre ir para frente nos quadrinhos com o Joker? 

Jared Leto: [Os olhos se alargam, encolhe os ombros para efeito dramático Quem sabe, foi uma experiência inesquecível e adorei. É um dos grandes papéis no cinema, mas vamos ver.

Fonte: complex.com

Publicado por Bianca em 19/dez/2017

COMENTÁRIOS