Jared Leto é capa da revista GQ Style

Jared Leto estampa mais uma revista sobre moda, a GQ Style, estará disponível para venda a partir deste outono. Nesta edição há uma matéria com entrevista onde Jared fala de novos trabalhos, de outros artistas, vida pessoal e um pouco sobre o Coringa, seu personagem em Esquadrão Suicida. Confira a tradução pela nossa equipe


Jared Leto não tem um esquadrão. Na verdade, ele passou seus 22 anos de carreira confundindo expectativas e mergulhando fora da grade da cultura pop. Aqui, o vencedor do Oscar dá a entrevista mais aprofundada de todas vestindo as melhores roupas de coleções de moda italiana deste outono na nossa sessão de fotos em Milão, Itália.

A assistente de Jared Leto parece estar vestindo um traje de uma Assistente de Jared Leto. Ela é extremamente magra com cabelo descolorido. Uma camiseta vintage caída nos ombros. Jeans skinny preto e botas. Ela é a assistente mais legal na história dos assistentes. E considere que ela está trabalhando no momento. “Você quer uma água ou algo assim?” Eu quero. Eu quero uma água. Estamos na casa do Jared. A casa a qual ele pediu para eu não descrevê-la, ou a sua localização ou se ele tem ou não um trampolim em forma de pênis no quintal. (Ele não tem um trampolim em forma de pênis no quintal.) “Eu vou buscar o Jared, ta bom?” Ta bom.

Jared entra na sala, segurando uma tigela de mingau de aveia como se fosse um recém-nascido. A primeira coisa que você percebe são seus olhos. Ele tem olhos muito redondos. Eles são quase uma imagem caricatural do Bob Esponja derramando água fervendo em seu colo. Na minha mente, Jared Leto é um dos últimos verdadeiros mistérios de Hollywood. Segunda-feira ele poderia ter a bunda nua em um ensaio fotográfico de Terry Richardson. Terça-feira – em um smoking polido e glamouroso – em uma caridade para o Haiti. Quarta-feira, enviando à sua Co-estrela de Esquadrão Suicida, Margot Robbie esferas anais e um rato vivo. (Sim, ele realmente enviou esferas anais e um rato vivo.) Em nenhuma dessas, Leto me surpreenderia. Crescemos a expectativa da surpresa, e na verdade muito para o cinema, o público leitor do TMZ realmente parece ter um ponto cego para Jared Leto por esta razão, muito estranho, muito variável, também difícil de definir. Mas Esquadrão Suicida, seu novo filme, está mudando isso.

Hoje, a única coisa que me surpreende é que Jared aparece limpo, vestindo tênis da New Balance. Mais tarde eu me lembrei que eu o vi usando esses tênis antes, em uma foto de escalada em seu Instagram. Jared realmente é de escalada. À medida que nos estabelecemos a nossa longa conversa, eu perguntei por que ele escala – outra pelas fotos badass do Instagram. “Às vezes eu acho que é a mesma coisa”, diz ele. “Como, por quê? Qual o ponto? ”

Então qual o ponto?

“Sabe, é como quando você é uma criança e você vê uma árvore, então você a escala. É realmente muito simples. É uma espécie de uma resposta base”, diz ele.”Você vê uma parede e você quer escalá-la. Você deseja testar seus limites. Eu realmente nunca cheguei ao topo. Chegar ao topo é bom. Mas eu acho que subir é mais, porque eu quero ver do que eu sou capaz.” Eu lhe pergunto se ele nunca fica com medo quando está preso à centenas de pés acima do solo, à procura de um firmamento. “Sim. Mas o medo é bom. É o que te obriga. É o que te empurra para subir a parede.”

Em sua carreira, Jared não mostra medo. É isso o que é tão emocionante sobre suas performances. 44 anos (e sim, eu tenho certeza de que o homem que você vê nestas páginas nasceu em 1971) acabou de subir uma das montanhas mais difíceis de Hollywood: Esquadrão Suicida, ele sucedeu o falecido Heath Ledger como o Coringa.

Há uma abundância de elementos para isso que pode agitar um pouco o medo, também. Para começar, não fazendo jus ao seu hype. Seu trabalho anterior, em Clube de Compras Dallas, como uma mulher transexual chamada Rayon que está em uma luta contra a AIDS, ganhou um Oscar. Depois, há os nerds de quadrinhos ferozes online que ficam com o cabelo em pé quando se trata de chamar de porcaria as interpretações de Hollywood de seus amados super-heróis. (Veja: o Batman de Ben Affleck.) E, talvez a coisa mais temível de todas – considerando que, como Ledger, Leto é um ator de estilo metódico – o pedágio mental tão notado que papel pode tomar. (Mais sobre isso mais tarde.)

Mas o camaleão parece destemido.

Se você assistir o Jared na Ellen ou em outro talk show – ou basicamente qualquer outro momento que ele não esteja atuando ou tocando com sua banda, Thirty Seconds to Mars – ele parece muito frio. Não um hipster frio, como sua assistente. Uma maneira mais controlada do que isso. Ele puxa junto intencionalmente e, ouso a dizer, profissional. Mesmo com suas selvagens escolhas de estilo pessoal, a maioria dos que projetam um vocalista de rock’n roll, Jared ainda é extraordinariamente calculador em seu comportamento.

Mais tarde, eu vou trazer um dos estilos adotados de Jared. Por volta de 2014, ele ostentava uma barba cheia e cabelos longos. A Internet muitas vezes disse que ele parecia Jesus. “É um visual clássico,” Jared diz. Que pela maioria dos padrões é uma piada na melhor das hipóteses. Mas quando Jared diz isso, ele sorri. E o sorriso parece vir de um Jared completamente diferente. Isso me faz pensar que talvez, quando ele estava desenvolvendo seu Coringa, ele não estava tomando sugestões de quadrinhos ou Jack Nicholson. Em vez disso, ele é conhecido como um showman inteiramente travesso. Talvez ele tenha esse caráter escondido dentro dele. Talvez por isso ele não tem medo.

GQ STYLE: Você teve críticas de grande sucesso como ator, mas nada massivo como Esquadrão Suicida. Você está pronto para uma atenção como esta?

Jared Leto: Minha carreira teve uma lenta e agradável queima. Sabe? Eu nunca acordei um dia e, de repente, minha vida mudou. E eu sou grato por isso, porque eu acho que me permitiu o tempo e espaço para me ajustar em conformidade, para descobrir onde e como eu me sinto confortável ao fazer as coisas.

Isso é design?
Foi um pouco por destino. Alguns por design. Fama nunca foi um alvo para mim.

Mesmo quando era criança, você não queria ser famoso?
Não. Eu realmente nunca pensei nisso. Eu nunca tive fotos de pessoas na minha parede. Eu nunca tive obsessões de celebridades. Até mesmo a música que eu escuto. Minha banda favorita era Pink Floyd. Eu não acho que eu sabia o que se parecia quando tinha 20 anos. Eu sabia com o que os seus trabalhos artísticos se pareciam, e sabia todas as letras de todas as músicas do Dark Side of the Moon. Mas eu realmente não tive esse tipo de exposição ou “heróis” dessa forma. Essa é a coisa agradável sobre o trabalho que eu fiz: Foi tudo bastante orientado para o personagem. Menos baseado em ter algumas personalidade carismática, personalidade vencedora. Eu provavelmente perderia essa corrida se eu realmente estivesse nisso. E isso foi divertido. Estou muito grato que eu recebi a ligação para fazer algo como o Coringa.

Me Lembro que depois do sucesso de Coringa de Heath Ledger achando que ninguém iria querer assumir esse papel novamente. Parecia impossível acompanhar o desempenho perfeito de uma pessoa falecida e amada. Por que você disse sim?
Não me lembro de muita hesitação. Tenho certeza de que eu considerava tudo quando recebi o telefonema. Mas deixe-me dizer algumas coisas. Número um, Heath Ledger: Não só ele foi perfeito como o Coringa. Não há um único quadro em que ele não é grande. Não só ele foi perfeito nesse papel, mas é provavelmente uma das melhores performances, e não apenas de um vilão, mas talvez um dos melhores desempenhos no filme. Essa é a minha opinião. E essa foi a minha opinião antes de receber o telefonema. Foi um desempenho perfeito, e esses são muito raros. Então você tem Jack Nicholson, uma das lendas do mundo. Aí você tem duas lendas. Depois você tem Cesar Romero, e então Mark Hamill, que faz uma dublagem incrível. Daí você tem 75 anos que o Coringa foi escrito e trazido à vida por artistas. Mas de certa forma, o fato de que ele foi interpretado tantas vezes eu acho que me deu uma grande sensação de liberdade e permissão para andar por um caminho diferente. Por um lado, eu tive um imenso respeito por aquilo que foi feito antes, como uma verdadeira admiração e respeito pelo trabalho que foi feito antes. Por outro, este entusiasmo sobre a oportunidade de ir e dizer algo mais, algo novo, algo diferente.

A Fofoca no momento sugeriu que a transformação de Heath Ledger no Coringa para as telas podem ter contribuído para sua morte. Como um ator extremamente metódico, você não ficou com medo disso?
Houve um ponto onde eu estava pesquisando violência e estava assistindo um monte de coisas que… coisas que é discutível se alguém deve mesmo ver. E notei que começou a ter um impacto sobre mim que eu não gostei, então parei. Isso apenas começa a entrar em você, violência e algumas dessas coisas. Mas você sabe, eu fiz alguns filmes muito sombrios.

Mas a morte de Heath fez você pensar duas vezes antes de mergulhar de cabeça em um papel como esse?
Eu acho que você tem de mergulhar. Eu acho que essa é a coisa. É uma peça desafiadora de trabalho. Mas nós nos divertimos muito com isso também. Quer dizer, o Coringa não é um cara tão ruim, como eu sempre digo. [Aqui, Leto se transforma totalmente no Coringa por um segundo.] Eu não sou realmente um cara mau. Eu sempre disse isso. O Coringa é ótimo, porque ele está sempre fazendo ele mesmo rir, então só consigo fazer uma piada em que as pessoas ficam tipo – Quê? E eu estou rindo por dentro. Ele acha as coisas engraçadas que outras pessoas nunca acham. Como a morte. E uma das coisas que eu realmente amei sobre o Coringa é que ele é um entertainer. Ele gosta de apertar botões. Ele gosta de criar energia. Qualquer tipo de energia. Quando eu estava no set, eu acho que todo mundo na equipe estava muito feliz de ver o Coringa novamente quando ele voltou. Porque ele é muito divertido de assistir. Você nunca sabe o que ele vai fazer em seguida. Ele é tão espontâneo, e não tem regras, que foi bom para entreter as tropas, por assim dizer.

Estou interessado na logística dos presentes. Temos isso – você enviou um rato para Margot Robbie. Mas como conseguiu o rato? Você capturou ele? Comprou?
Bem, em Nova York, você nunca está mais distante há três pés de um rato. Há ratos em todos os lugares, cara. Você quer um rato, eu posso te dar um rato. Há coisas mais difíceis de obter!

Will Smith disse recentemente que ele nunca conheceu Jared Leto realmente, apenas o Coringa. Você acha que a sua música é a melhor maneira de conhecer Jared?
Eu acho que é provavelmente verdade. Se você já me viu em um show, você provavelmente iria me conheceria muito. Eu acho que todos nós da banda, tem muito sobre quem somos nos shows. Sabe, quando eu estou atuando, providencio uma lista de circunstâncias e personagem, e da forma que eu trabalho é geralmente em torno da construção de um personagem. Eu sempre gostei de atores como Peter Sellers, Daniel Day-Lewis, Johnny Depp, Sean Penn-atores que se perdem em seus papéis e constroem personagens realmente poderosos ou cativantes.

Se você tivesse que escolher entre a música e atuar, o que você escolheria?
Eu escolheria a música, com certeza.

Qual você acha que é melhor de fazer?
Eu acho que sou melhor no palco do que quase qualquer coisa que eu já fiz na minha vida. É aí que eu me sobressaio melhor. Nós fizemos turnês e fizemos tantos shows. Anos e anos de turnês. Eu acho que é provavelmente o lugar onde eu mais prosperarei.

Você conversa com Shannon [irmão e colega de banda de Jared] todos os dias?
Falamos muito. Praticamente todos os dias porque nós estamos em estúdio agora, por isso vemos um ao outro.

Vocês nasceram em Bossier City, Louisiana. Já estive em Bossier City. Você não poderia parecer menos como alguém de Bossier City. 

Nós mudamos muito cedo, mas nós costumávamos visitar meus avós no verão, em Louisiana, quando éramos crianças. Mas nós mudamos um pouco. Tivemos um pouco de educação de vagabundo. Mas definitivamente existe uma conexão com Louisiana. Ainda há alguma coisa lá.

O que seria?
Eu não sei… Um sentimento? Se eu voltasse para Louisiana amanhã, há um sentimento lá. Há algum tipo de conexão.

The Deep South parece que pode ser um lugar difícil para você – um criativo, aberto e mais estranho que você seja – se conectar.
Sim, nós cortamos muitos laços quando eramos jovens. Talvez cortar seja uma palavra dura. Eu acho que foi um desafio ainda maior para a minha mãe – uma mãe solteira com dois filhos – sentir como se tivesse oportunidades ou sentir otimista sobre o futuro. Eu brinco às vezes que você não deixa Bossier City, você escapa.

Você acredita em Deus?
Eu não acredito em um Deus que julga consciente das ações da humanidade.

Então o que você acredita?
Eu não quero ser desconsiderado, porque a minha verdadeira crença é que se é isso que você acredita e é onde você encontra conforto, então isso é ótimo. Isso é realmente a minha crença: As pessoas devem acreditar no que querem acreditar. Mas, para mim, sabe, eu não acho que há um cara barbudo lá em cima que fica “Oh, você fez isso e isso.” Eu nem tenho certeza se isso é tudo real. Isso poderia ser uma simulação, sabe? Se você ver um VR estes dias depois compará-lo com o primeiro voo controlado tripulado pelos irmãos Wright, em 1903 ou 1904 qualquer coisa, e quão longe nós viemos em apenas um curto período de tempo, quem sabe o que o VR será daqui a 100 anos. Eu acho que nós vamos ser capazes de gerar e enviar o que percebemos como um sonho. Você será capaz de viver dentro de um sonho, se você quiser fazer isso.

O que sua mãe acredita?
Eu acho que provavelmente o mesmo. Mas você teria que perguntar a ela.

Eu sei que vocês eram mais boêmios, mas deve ter tido muita religião em Bossier City.
Sim, eu tinha primos, tias e tios que eram da Assembleia de Deus e igrejas evangélicas como essa. Eu lembro que eu fui algumas vezes e vi um pregador com correntes de ouro, anéis e óculos. Foi incrível. Pessoas falam em línguas.

Eram próximos ao seu pai antes de morrer?
Não, apenas sempre foi meu irmão, minha mãe e eu. E era apenas uma criança, nunca soube realmente a diferença. Mas quando eu olho para trás, posso ver agora uma mãe solteira lutando e trabalhando duro e não recebendo nada, sabe, muito luxo por aí. Haviam muitos caseiro que davam presentes de vez em quando, de aniversários, de Natal e outras coisas. Mas, novamente, era a norma.

Estou assumindo que quando o jovem Jared imaginou seu futuro, ele viu algo parecido como ator-músico boêmio viajante que você se tornou e não um trabalhador de casino ou qualquer coisa em Bossier City.
Sim, com certeza.

Como você conseguiu que sua mãe visse isso?
Eu acho que minha mãe era da mesma maneira. Ela viu isso também. Essa é uma das razões que ela deixou. Meu irmão era da mesma maneira. Nós sempre fomos crianças muito criativas. E minha mãe e seu círculo de amigos eram artistas, escultores e artistas performáticos. Houve muita criatividade por lá, e que foi uma grande direção para nós. E eu acho que a coisa interessante sobre a vida criativa é: Geralmente coloca você em uma estrada um pouco menos percorrida.

Você escolheu isso?
Eu sempre fui um pouco cavalo escuro, uma ovelha negra. Meu irmão e eu. E nós sempre fomos os garotos novos da cidade, também. Mas eu nunca tolerei ser intimidado. Gostaria de revidar. Mesmo se eu perder, eu iria revidar. Eu tinha aquela coisa – eu sempre tive isso. Talvez seja problemas de autoridade ou algo assim, eu não sei, mas eu sempre tive essa coisa de que eu não me importo quem é ou quem era. Eu não vou deixar alguém fazer isso comigo. Gostaria de revidar.

Quando você teve sua primeira namorada?
Não me lembro.

Sério? Todos recorda sua primeira namorada, cara.
Primeira namorada… Eu não sei. Sim… [aquele sorriso diabólico faz outra aparição] Eu nunca fui realmente tradicional. Mas eu não acho que eu tinha uma namorada real até muito tempo. Eu tinha 20 anos.

Você era um Casanova, então?
Não. Eu era muito introvertido durante certos períodos. E eu certamente não era um garoto popular. Eu nunca me lembro de ser o centro das atenções de ninguém. Eu estava mais perdido em minha própria imaginação. Eu passei muito tempo sozinho. Eu não tive um grande círculo social.

O que é diferente agora? Você tem muitos amigos?
Eu conheço muita gente, mas eu acho que ainda sou o mesmo, provavelmente. Existem muitas pessoas em minha vida que eu gosto, mas eu não tenho uma legião enorme.

Quando você ouve rumores sobre si mesmo, isso te afeta?
Eu tive rumores que me incomodaram. Especialmente se eles são prejudiciais ou rancorosos e não são verdade. E algumas vezes não são todos – você acabou de rir com isso. Algo também não pode te irritar ou ser doloroso, mas é errado. Serão pessoas que você ama, pessoas que você odeia. Não importa se você é Barack Obama ou o Papa. Se você é Kanye ou Taylor Swift. Haverá pessoas que gostam de você e as pessoas que não o gostam. E pensar que você pode agradar o mundo ou convencer a todos de outra forma é uma missão de tolos.

Me dê a uma rápida revisão de Jared Leto dessas quatro pessoas: o Papa, Obama, Kanye e Taylor.
O Papa! Papa, como o chamam, em Roma. Ele parece estar um passo na direção certa. Eu não sei muito sobre ele, mas ele parece estar um passo na direção certa.

Obama.
Eu sou um torcedor. Um crente. Eu acho que entregaram a ele um dos piores empregos do país.

Quase um trabalho mais resistente do que o Coringa.
Sim, só um pouco. Entregaram a ele um dos piores empregos do mundo naquela época e herdou uma grande confusão. Eu estava no Jantar dos Correspondentes, e ele é certamente o presidente mais engraçado que alguma vez teremos. Ele tem feito algumas coisas incríveis, e eu acho que ele vai ser lembrado como um dos melhores.

Kanye.
Ele é um amigo e sempre foi. Kanye sempre foi a pessoa mais simpática para mim, amável e generoso. Acho que ele é talentoso, e eu realmente aprecio sua capacidade de falar o que tem na mente. Eu sou muito diferente. Sou muito cuidadoso e cauteloso, porque eu não quero lidar com as outras coisas que vêm junto. Mas eu aprecio que outras pessoas façam.

Você tem muitos pensamentos controversos?
Eu acho que todos nós temos. Eu só interpretei o Coringa. Eu acho que muitas coisas bastante estranhas.

O último da lista, Taylor Swift.
Ela é ótima. Ela conversou comigo sobre o que é possível. E você sabe, o que eu gosto sobre a Taylor é que ela é uma mulher empreendedora. A vejo em minha mãe. Provavelmente houve alguns pontos na carreira da Taylor onde alguém talvez teria desequilibrado e a derrubado, críticas ou outros desafios, e ela simplesmente continuou seguindo em frente.

Chris Pratt ou qualquer outro homem assim – bonitão, galã, etc. – provavelmente não iria tirar algumas das fotos que você tirou. Como os nudes que Terry tirou de você e outras coisas. Como você define a masculinidade?
Estamos em um momento interessante, no momento em que as pessoas estão explorando todos os tipos de ideias diferentes de identidade, não apenas masculinidade ou feminilidade. Talvez seja tudo um novo paradigma. Eu acho que isso é ótimo. Porque muitas pessoas provavelmente são marginalizadas ainda, e encontrar um sentido de identidade é fundamental para capacitar as pessoas. Para mim, eu nunca tive uma ideia concreta da masculinidade. Eu acho que está tudo bem ser apenas você mesmo e tudo o que isso implica. Você sabe, eu certamente nunca me senti obrigado a me apresentar de uma certa maneira.

Sério? Nem mesmo em Hollywood?
Não. Mas no entanto ouvi isso.

Então, as pessoas na indústria tentaram empurrá-lo em certas direções, mas você nunca sentiu peso em cumprir?
Sim. Eu nunca senti esse fardo, mas eu ouvi essa conversa. Eles o chamam de “galã.” Alguns dos meus atores favoritos, você poderia colocar em um balde de “homem de liderança masculina.” E eu acho que há espaço para tudo. E muitas vezes você está apenas ouvindo ecos de outras pessoas inseguras – de como eles pensam que as coisas deveriam ser.

Você considera a si mesmo como um galã?
Uh, acho que provavelmente é para outras pessoas decidir isso. Para mim, o termo “galã” é apenas um coloquialismo para alguém que está estrelando um filme. Um cara que carrega o filme. Tom Hanks ou Harrison Ford ou Denzel Washington, galãs. Você sabe? Matt Damon, galã. McConaughey, galã. Mas também Johnny Depp, galã. Mas o chamam de “galã” em Hollywood? Eu não sei. Ele e ótimo. Seja lá o que ele for, eu gosto dele.

Você acha que a América aceitaria um galã gay?
Um galã gay?

Sim.
Eu acho que sim.

Você acha isso ou você espera que sim?
Uh, eu espero que sim.

O que você acha?
Eu definitivamente não acho que um galã gay teria as mesmas oportunidades que um galã hétero teria. Eu não acho isso. Nem por um único segundo. Eu não sei se isso é ofensivo ou não, mas esse é o meu pensamento agora. Não deveria ser assim. Eu não acho que você terá tantas oportunidades. E eu acho que você poderia dizer o mesmo para as minorias. Que palavra “minoria”. Podemos tirar essa palavra da lista ainda? Porque ele deve ser tirada. De qualquer forma, acho que não, eu acho que isso ainda é um negócio muito conservador.

Vocês estão fazendo um Esquadrão Suicida 2?
Eu não sei. Eu acho que depende. Eu acho que há muito mais para o Coringa dizer.

Jared Leto Coringa.
Sim. Esta é a nova era Coringa. Acho que essa história é apenas o começo. Esquadrão Suicida é realmente apenas uma reintrodução. Espero que seja a primeira de muitas Porque foi o papel de uma vida.

Tradução: jaredletobr.com

Fonte: GQStyle

ATENÇÃO: A CÓPIA TOTAL OU PARCIAL DESTE ARTIGO É TERMINANTEMENTE PROIBIDA.


 Confira as scans da GQ Style em nossa galeria.

Jared Leto Jared Leto

Scans » 2016 » GQ Style
Share
Publicado por Bianca em 03/ago/2016

COMENTÁRIOS

%d blogueiros gostam disto: