“Só Niander conhece Deckard” diz Jared sobre Blade Runner 2049 para o Rotten Tomatoes

CUIDADO: SPOILERS DE  BLADE RUNNER 2049 SIGA ABAIXO

Em Blade Runner 2049 , Jared Leto interpreta Niander Wallace, um dos personagens mais fascinantes e misteriosos. Parte monge, parte do gÊnio psicótico, Wallace é um trilionário cego que ajudou a salvar a civilização e está determinado a continuar o programa de replicante, que fora extinto, criando um novo tipo de replicante que não desobedecerá ou se rebelará… porque sabemos o que se passa quando isso acontece.

O Rotten Tomatoes pegaram Leto antes da estreia de Blade Runner 2049 nos cinemas, e nossa conversa começou, bem, falando sobre o Rotten Tomatoes.


Jared Leto: Os lendários Rotten Tomatoes! A crítica mais temida em todo o mundo do cinema. O triturador de sonhos e o portador de pesadelos. O defensor de esperança!

Erik Davis por Rotten Tomatoes: Ei cara, estamos seguindo a conversa. É disso que se trata.

Leto: Isso mesmo. Ei, aprecio e vejo isso.

RT: E falando nisso, este filme é tão profundo, é tão complexo. É bonito, é sexy. Qual é a conversa que você gostaria de ver as pessoas tendo quando saem do cinema?

Leto: Essa é uma ótima pergunta. Falando nisso, saindo do foco, tomates verdes são uma iguaria em muitas partes do mundo. Enfim, a conversa… Espero que as pessoas estejam inspiradas. Espero que elas estejam animadas. Espero que estejam falando do futuro, da tecnologia, da inteligência artificial, dos replicantes, do que será o amanhã. Espero que as pessoas estejam falando sobre o quanto eles gostaram do filme e quanto prazer ele lhes trouxe. É uma coisa muito rara quando um filme se junta com o calibre de pessoas que tive a sorte de estar cercado… Ou uma pequena parte disso, com Harrison, Ryan, Denis, Roger Deakins, Michael Green e todo mundo. É apenas um grupo espantoso de pessoas.

RT: sem dúvida.

Leto: Um filme desse tamanho, também, não acontece com muita frequência. Egoisticamente, estou realmente animado com isso, porque espero que significa que talvez mais filmes como este será encorajado a ser feito e talvez haja ainda mais sequências de Blade Runner e spinoffs, porque eu amo o universo de Blade Runner. Para mim, é Star Wars.

RT: com certeza. Você está animado em fazer parte disso e voltar para mais filmes de Blade Runner?

Leto: Com certeza! Você está brincando comigo? Eu interpretaria até o cachorro que é chutado na rua.

RT: Seu personagem – ele sente que é meio monge, meio gênio, meio psicopata. Quais foram as coisas que inspiraram sua tomada sobre ele? O que você assistiu? O que você leu? O que você comeu?

Leto: Ele é um pouco Steve Jobs e Dalai Lama. Quero dizer, ele é um pouco monge. Um pouco gênio, um gênio louco. Ele é um trilionário, uma pessoa que salvou a civilização da fome e continuou o trabalho da Tyrell Corporation, adquiriu os direitos, recriou replicantes e tem uma ideia do que é necessário para salvar a civilização por si só.

RT: Você assistiu vídeos do Steve Jobs então? Para entrar nesse estado de espírito, o que você assistiu? O que você fez?

Leto: Exatamente esse tipo de coisa. Eu acho que você estuda os grandes filósofos. Você se empurra e tenta educar-se. Tenho a sorte de ser amigo de pessoas realmente inspiradoras no mundo da tecnologia e algumas das pessoas mais inteligentes do planeta. Foi bom passar o tempo com eles e ver como eles trabalham e vêem… apenas para fazer parte de seu mundo, meio que vislumbrar o mundo em que vivem. Isso foi essencial.

RT: Sinto que a nostalgia desempenha um papel importante na ressurreição de franquias como Blade Runner, como Star Wars , o It de Stephen King que acabou de sair. Você sente que isso é bom, que a nostalgia está desempenhando um papel tão grande no que as pessoas estão fazendo nos dias de hoje?

Leto: Eu acho ótimo. Eu não tenho nenhum problema com isso. Quero dizer, se um material for ótimo, por que não deve ser reinterpretado? Eu acho que fizemos isso desde o início dos tempos. Nós contamos histórias. Reimaginamos as histórias. Nós acrescentamos histórias. Nós extraímos histórias. Para os grandes lá fora, quero dizer, adoro o fato de eles terem feito outro Blade Runner, que fizeram novos filmes de Star Wars e que continuam a reinventar. Às vezes, eles conseguem corrigi-los e fazê-los ainda melhor, ou às vezes eles conseguem continuar uma história e elaborar algo que é realmente interessante ou emocionante. Eu acho ótimo quando dá certo. Quando não dá, é redutor e não é muito divertido. Mas sim.

RT: Muitas pessoas já estão discutindo se Blade Runner 2049 é melhor do que o Blade Runner original . O que você acha?

Leto: Bem, não acho que haja um melhor Blade Runner.

RT: Não?

Leto: Isso é como perguntar quem é melhor, o pai ou o filho? O irmão ou a irmã? Eles são uma família. Eles não precisam ser melhores do que o outro. Eles não deveriam ser melhores do que o outro. Eles são diferentes e devem viver separados, mas em igualdade.

RT: Falando nisso, seu personagem neste filme provavelmente está no melhor lugar para resolver outro debate: se Deckard é ou não replicante. O que seu personagem pensaria?

Leto: Bem, Denis me deu um presente no filme e isso seria um spoiler. Mas no filme, vejo a mente de Deckard. Perguntei ao Denis: “Então, o que eu vejo? Eu vejo o replicante? Vejo um humano?” Ele fez uma longa pausa, uma pausa muito longa, uma eternidade. Ele se virou e ele caminhou alguns passos. Ele voltou para mim e ele disse: “Sabe de uma coisa? É a sua decisão a se tomar. Niander Wallace o conhece e só o Niander sabe.” Então, isso foi meio divertido, e agora eu tenho esse segredo e eu consigo levá-lo comigo para o meu túmulo.

RT: Você também fez um curta-metragem antes do Blade Runner 2049 com um diretor diferente. Sou fascinado por isso, fazer outros conteúdos que são de outros cineastas. É uma experiência diferente, e o que você traz de diferente nisso que você não traz no longa-metragem?

Leto: Experiência totalmente diferente. É uma ótima pergunta. Mas era o filho de Ridley Scott que dirigiu o curto, então tudo fazia parte da família. Mas era diferente. Foi divertido ter mais Niander Wallace para explorar e promover a história. Espero que as pessoas adorem o filme e eu ficaria absolutamente honrado por continuar a interpretar Niander… Como chama? O quimono, vestir o quimono mais uma vez seria divertido.

Fonte: rottentomatoes.com

Share
Publicado por Bianca em 20/dez/2017

COMENTÁRIOS

%d blogueiros gostam disto: