Entrevista: “Adoro a ideia de me tornar a minha melhor obra de arte”, Jared Leto para a Marie Claire

Estrelando ao lado de Lana Del Rey, a nova campanha Gucci Guilty, o ator e músico nos contou sobre sua pandemia, seus sonhos e seu novo desafio de atuação que dará muito o que falar: transformar-se em Andy Warhol.

Excêntrico, renascentista, intenso, sedutor, fashionista e versátil são algumas das palavras que têm sido usadas (e continuarão a ser) para falar de Jared Leto, o ator, músico, diretor, e modelo, mais um adjetivo que acaba de acrescentar em seu longo relacionamento com a Gucci.

Como? Através da nova campanha Guilty, a fragrância carro-chefe da marca que celebra a liberdade como nenhuma outra. Desta vez, o ator e músico está acompanhado por Lana Del Rey, a também multifacetada cantora de Blue Jeans. Juntos, eles são mostrados em locais icônicos que tanto alimentaram Hollywood, desde um motel a um salão de beleza, uma loja de conveniência e um café (onde Courtney Love faz uma cameo como garçonete).

Além disso, eles caminham pelo famoso cemitério Hollywood Forever em Santa Monica, onde descansam os restos mortais de artistas como Judy Garland, Jonnhy Ramone e o lendário Rodolfo Valentino, entre outros.

Paralelamente, o ator e líder da 30 Seconds To Mars acaba de retornar às telas com a super estreia de The Little Things, um thriller policial que o coloca de volta na corrida do Oscar.

E também se prepara para uma grande série de estreias. Ele não apenas vestirá o terno do Joker novamente (ele sairá “redimido” da versão e “Jack Snyder cut” da Liga da Justiça?). Mas acaba de assinar com a Apple TV + para sua nova série de estrelas, sobre o proprietário da WeWork ao lado de Anne Hathaway.

Como se tudo isso não bastasse, em breve terá início a demora das filmagens da cinebiografia de Andy Warhol, para a qual ele já havia prometido uma imersão “radical” naquele inesquecível artista e personagem. Por e-mail (ele só aceita responder perguntas dessa forma) ele nos contou sobre seu intenso ano de 2020 e seu ano novo ainda mais desafiador.

Você fez parte de uma campanha da Gucci novamente. Que sentimentos essa campanha deixou em você?

Nada é o que você espera da Gucci, é por isso que gosto tanto de trabalhar com eles. A equipe é incrivelmente trabalhadora e criativa. A campanha Guilty celebra estranhos, artistas e tomadores de risco com quem me identifico. Fico feliz por fazer parte de sua aventura e contribuir no que posso.

Como foi trabalhar com Alessandro Michele?

Acho que Alessandro e eu temos muito em comum: temos idades semelhantes, temos atividades criativas semelhantes e amamos muito nosso trabalho. Acho que ele é um artista ousado e apaixonado e adoro estar com ele, seja em uma campanha ou em uma longa noite…

O seu documentário (com o qual trabalha há anos) A Day In The Life Of America estreou? Como você definiria?

Como uma espécie de instantâneo de quem somos como americanos. A ideia era fornecer um pouco de informação sobre o tipo de pessoa que somos e há quanto tempo vivemos. Acho que foi importante mudar o rumo da câmera para nos olharmos um pouco e reconhecermos todas as pessoas que compõem o tecido social do nosso país.

A pandemia mudou a vida de todas as pessoas neste planeta. Como foi no seu caso?

É verdade, todos nós fomos profundamente afetados pela pandemia. Tem sido uma época muito difícil para muitas pessoas que perderam seus empregos, perderam entes queridos. Ao mesmo tempo, também foi um bom momento para fazer uma pausa e descansar. Desde os 7 anos de idade eu não ficava tanto tempo parado.

Qual foi seu principal “refúgio” ou “bálsamo para a alma” nessa época?

Meditei todos os dias, cozinhei muita comida e conectei com amigos e entes queridos. E escalar montanhas quando eu puder fazer de novo…

Que coisas ou pessoas te inspiram?

Natureza, arte, música, montanhas, memórias, minha família e o futuro.

Você está prestes a interpretar ninguém menos que o grande Andy Warhol em seu novo filme biográfico. É mais desafiador enfrentar um personagem real do que fictício?

Andy Warhol sempre foi uma inspiração para mim. Acho que sua maior obra de arte foi ele mesmo. Eu amo essa ideia de arte e transcendência. Até para mim. Andy se tornou quem ele sonhava ser. Ele era verdadeiramente um “self made man”, um homem – e um enigma -, criado a seu gosto e capricho. Espero poder dar uma nova vida à sua história com este filme.

Ação, direção, música, campanhas de moda… Como você consegue ser tão multitarefa?

Finalmente tive muito mais tempo desde então, como disse, passei muitos meses em casa. Mas a verdade é que meu grande segredo para ficar na linha é meditar todos os dias. Antes que a pandemia nos prendesse em nossas casas, eu já priorizava a meditação, as coisas que eram importantes para mim o tempo todo.

-ocê tem muitos sonhos pela frente? 

Sim. Confesso: adoraria fazer um filme pipoca, especialmente uma comédia-romântica com todas as letras.

A TRADUÇÃO PARA O PORTUGUÊS DESTA ENTREVISTA É PROPRIEDADE DA EQUIPE JARED LETO BRASIL, SE REPOSTAR, POR FAVOR NOS DEÊM OS CRÉDITOS, É UM TRABALHO QUE DEMANDA TEMPO E DISPOSIÇÃO E GOSTARÍAMOS QUE RESPEITASSE, OBRIGADO.

Fonte: Marie Claire

Share
Publicado por Bianca em 05/fev/2021

COMENTÁRIOS

%d blogueiros gostam disto: