Jared Leto diz que Paolo Gucci, quem ele interpreta em House Of Gucci, só queria ser ouvido

Durante esse mês de novembro, está acontecendo o lançamento de um dos filmes mais esperados do ano, dirigido pelo incrível Ridley Scott – House Of Gucci (Casa Gucci), que conta a trajetória da dinastia mais maluca da marca italiana famosa Gucci até o assassinato de um de seus herdeiros.

Jared e o elenco do filme concederam uma série de entrevistas para contar um pouco mais sobre essa trama que, nas palavras de Jared “Muitas pessoas não conhecem a história por trás da marca Gucci”, bem como falar sobre seus personagens. Como é uma série de entrevistas e press junket juntas (por conta da pandemia, pois ela ainda não acabou, não é mesmo?!), fizemos um resumão de tudo o que Jared trouxe à tona sobre seu personagem, Paolo Gucci, a sua relação cm o mundo e o motivo dele ser tão frustrado. Segue a fio:

E! News

Quem duvidou de Jared Leto?

Daily Pop: Digo, o seu personagem, as pessoas duvidaram e não acreditaram nele. Mas eu sinto que todo mundo acredita em você e sempre acreditaram.

Jared: É ótimo ouvir isso de fora mas certamente nunca me senti assim na minha vida. Eu duvido de mim mesmo, mas acho que é manter um pé na frente do outro. Paolo é um cara que nunca foi visto ou ouvido antes pelas pessoas próximas a ele e isso é meio que devastador.

On Demand Enterteinment

Jared: O figurino de Paolo é o melhor figurino, certamente eu aprendi alguma coisa sobre a moda dele.

ODE: Ridley Scott é britânico, ele te ensinou alguma gíria?

Jared: Sabe, ele ensinou sim. Algumas vezes ele dizia palavras e você não fazia ideia, e sabemos que ele tem raízes britânicas e eu como estadunidense fiquei perdido por alguns momentos. Ele dizia “bangers” e “Mash”, algo assim, e eu ficava tipo “Huh? Oh, certo.” Mas ele é maravilhoso.

ODE: Quão especial é Lady Gaga?

Jared: Ela é fantástica. Tomadora de risco, quebradora de regras. Uma ótima companheira. Eu realmente gostei da oportunidade de trabalhar com ela.

ODE: Vencedor do Oscar e agora está no MCU, isso é um sonho?

Jared: Sim. Quero dizer, acho que não ficaria melhor que isso… Todos os dias estou preenchido de gratidão, honestamente, é um sonho. Trabalhei muito e ter essas oportunidades como essas é muito especial.

ODE: DC e Marvel, você é a primeira pessoa a fazer isso?

Jared: Eu não sei, mas se sim, então aceito.

Jake’s Take

Sobre transformação dos personagens de Jared: Como ator, até mesmo como humano, como é olhar para o espelho e ver outra pessoa que não seja você?

Jared: É incrível! É animador. Pode ser terrível, pode ser hilário e muito divertido. Eu amo trabalho imersivo. Não é segredo que eu amo transformação. Mas mesmo com essas próteses ou não, para mim é sempre uma transformação, é sempre uma vida nova, é meio que uma escultura que revela o que está por dentro da argila. Então mergulha o mais fundo que puder nisso. Com Paolo foram seis horas de maquiagem todas as manhãs e cerca de uma hora para remover a noite. E existia uma incrível bagagem de trabalho interno que saiu, muita pesquisa para entender esse personagem e as circunstâncias, a família. Especialmente porquê veio de uma família da vida real, uma pessoa real. Havia muito o que aprender e apenas me sinto sortudo em fazer parte disso.

JT: Estou imaginando se você pudesse sentar no cinema ao lado de Paolo para assistir esse filme e quando acabar você pergunta a ele: o que achou sobre a maneira que o interpretei? Quais aspectos da sua performance você gostaria de pegar do pensamento dele?

Jared: Essa é uma boa pergunta, honestamente eu pensei em Paolo e no que ele acharia disso. Estava em minha mente, me senti nessa obrigação, porque claro, não é a primeira vez que interpreto pessoas da vida real. Você tem uma responsabilidade. Nunca é uma fotografia, é uma imitação. Não é um documentário, é sempre uma pintura de uma imagem e não uma fotografia, e você tem que realmente entender motivo de você poder se atolar com tentativas de recriação ou algo do tipo, e é impossível. O que eu espero fazer é capturar seu espírito, uma ideia de quem o Paolo foi. Mas também servir a história, o roteiro, os outros atores, o diretor da melhor maneira que posso.

Espero voltar para os paucos com o 30 Secods To Mars mais breve do que imagino, uma turnê pós covid, eu espero.

Screen Rent

SR: Você é uma pessoa que reconhecemos em qualquer lugar. Mas para esse filme você usou próteses. Você nunca pegou essas próteses para passear pela cidade e meio que ter a oportunidade de ser esse cara por uma noite?

Jared: Eu fiz isso todos os dias, você me lembrou disso agora. Na verdade eu fiz o cabelo e maquiagem em meu quarto de hotel em Roma e nós filmamos em Milão. E fazíamos esse caminho entre Roma e Milão, entre os hotéis, andando pelas ruas e depois do trabalho. E foi ótimo. Eu me apaixonei pelo personagem. Ele é uma pessoa que é maior que a vida, é um sonhador. O físico, o senso de humor, é simplesmente um sonho realizado para mim.

Jared ainda se divertiu com a ideia de brincar com a imaginação das pessoas por elas procurar por ele nas gravações de Casa Gucci já que souberam que ele estaria no filme e não achar, sendo que eles estava ali o tempo todo, só estava irreconhecível. “Sou apenas grato pelo Ridley ter me dado esse presente e ter confiado em mim. Essa foi uma grande oportunidade, ele é um dos meus diretores favoritos, é um mestre. Fiquei muito feliz de trabalhar com ele, é um dos meus heróis. E outro que é um dos meus heróis – Al Pacino, que interpretou o meu pai. Ele realmente foi meu parceiro nisso. Ele realmente te olha e acredita em você, confia em você. Apenas esse presente que me deu, com certeza, foi algo muito bonito.”.

Jared sobre Morbius: Estou muito animado por esse filme, estou tão honrado em trazer esse personagem à vida pela primeira vez nas telonas. É a honra da honra pois trouxe muitos personagens à vida, e isso é realmente animador para mim. É um filme que mergulhamos no passado, é tipo “Vá para o cinema e divirta-se”, e é isso o que eu espero que as pessoas tenham, com Casa Gucci e Morbius.

Extra TV

Sobre as cenas de ação em Morbius, a entrevistadora quer saber se foi o Jared mesmo que fez ou usou dublê.

Jared: Sim, é um personagem que nunca esteve nas telonas antes e isso já é difícil por si só. Foi divertido. Eu tive essa oportunidade de interpretá-lo pela primeira vez e foi ótimo para mim, porque eu amo transformação, amo papéis desafiadores e Morbius foi um deles. É um personagem que começa muito frágil e doente, tentando achar uma cura para se manter vivo e depois ele se torna muito forte e saudável, houve bastante eventos dramáticos. Eu interpretei três versões de Dr Michael Morbius, então foi uma explosão.

E: Teve uma dieta e exercícios para interpretá-lo?

Jared: Sim, muita dieta, muito exercício. Essa é meio que a parte normal da experiência de fazer filmes. Eu gostaria de colocar “Wouldnt Change a Thing” em Morbius. Ouçam estúdios, temos a música perfeita.

O DJ Illinium diz ser muito fã de 30 Seconds To Mars e a parceria com a banda começou quando eles fizeram uma reunião através do zoom e começaram a trabalha nisso por um tempo.

Jared disse que não conhecia Illinium antes dessa parceria, ele brinca que “talvez em um aplicativo de relacionamento, mas não para uma parceria, então nos conhecemos, fizemos amor e nasceu esse pequeno bebê chamado single”. Jared espera ter a oportunidade do Mars ir para o palco com Illinium e fazer uma turnê. Jared ainda diz que espera lança música nova com o Mars antes de 2021 acabar.

ET Canadá

ET: Você considera esse personagem o mais irreconhecível até agora?

Jared: É uma boa pergunta. Me apaixonei pelo personagem, ele é um sonhador, maior que a vida, ele é cheio de humor, é um cara que realmente quer fazer algo especial com sua vida, compartilhar com o mundo mas nunca teve a oportunidade, então ele é muito frustrado. Mas ele continua lutando para ser ouvido e visto e compartilhar seus designs com o mundo. Para mim foi um sonho absoluto trazer esse personagem à vida.

Sobre existir algum personagem que permaneceu com o Jared para a vida dele: Acho que você aprende muito das experiências que tem. Trazer pequenos pedaços de personagens consigo é uma espécie de insight de humanidade, de caráter, de família e circunstâncias. Paolo foi um interesse amoroso para mim, foi triste vê-o partir.

Sobre Jared quase ter chorado quando terminaram as filmagens: Sim, esses olhos tristes e mortos quase liberou uma lágrima, sim foi muito emocionante, acho que todos nós nos apaixonamos por Paolo. Ele é um cara que veste seu coração, claro, ele é um bagunceiro, mas é gentil.

Sobre voltar a ser si mesmo: Depende, se você trabalha muito, mesmo tendo um compromisso físico para algo, seja perder ou ganhar peso, o jeito que você fala pode levar um tempinho para desaparecer, porque isso se torna um hábito. Claro, não é segredo sobre eu ser imersivo, amo transformação e trabalhei dessa forma grande parte da minha carreira, e é algo orgânico e normal. Não é algo ruim tomar um pouco disso para o personagem. Acho que isso quer dizer que, provavelmente, você está fazendo a coisa certa.

Sobre ter pego algum figurino de House Of Gucci para si: Acho que peguei o terno roxo. Eu gosto de pegar alguma coisa dos meus personagens como uma pequena lembrança. Mas sabe, todos os figurinos desse filme são incríveis. Acho que muitas pessoas irão se chocar com esse filme porque todos nós conhecemos Gucci, conhecemos a marca, conhecemos esse nome legendário. Mas não acho que muitas pessoas conhecem a história sobre essa dinastia maluca dessa família, a batalha, o poder e assassinato. Estou animado pelo público assistir no cinema. Acho que provavelmente esse filme será o primeiro que as pessoas irão assistir depois da Covid e acho que as pessoas irão se divertir.

Extra TV

Jared sobre estar em House Of Gucci: Em Primeiro lugar, Ridley Scott, suas obras são incríveis e me causaram um grande impacto quando criança. Desde Alien a Blade Runner. E a outra coisa é o elenco. Al Pacino É um dos meus atores favoritos da vida, tantas performances incríveis e como um jovem ator, existem apenas alguns atores que ousa com grandiosidade esse termo, mas ele realmente mudou a minha vida, ele me mostrou o que é possível. Ter a oportunidade de apenas dizer “Papai”, e trabalhar e aprender com ele, estar em sua grandiosa presença, é uma carreira que eu admirei e agora estou no topo com o resto desse elenco. Me sinto muito grato, como um convidado. Selma e Gaga, sinto como estivesse ali para apoiar e tentar contribuir com o melhor que pude mas é um sonho. É um sonho sentar aqui e ver para todo mundo. Sou muito grato por fazer parte disso.

Access

Al Pacino sobra a transformação de Jared: Jared chegou até mim e eu não sabia quem ele era porque eu não tinha o visto. E ele chegou e se aninhou em mim e eu pensei “Quem é esse?”, nós estávamos em Roma, estava em quarentena e esse cara, de alguma forma chegou até mim e depois ele me chamou de “Papai”. Achei que eu realmente precisava de ajuda, então alguém gritou – “É o Jared” e aí eu vi que era ele. Eu não pude enxergá-lo, não importasse o que. Eu apenas me curvei e, sabe, estava na presença de um gênio. E eu digo isso porque ele foi uma inspiração.

Jared: Incrível ouvir isso, um ator quem influenciou minha carreira inteira. Sabe, estava pensando sobre isso ontem, aquela tarde… Quero dizer, meu Deus. Aquela performance foi simplesmente pertencente a um museu, foi incrível. Chegar no Al todo caracterizado aquele dia e eu pensar “Por que ele tem que ser tão rude?”, mas ele apenas não sabia quem eu era.

Al: Mas apesar de tudo o que ele fez naquele personagem, a humanidade veio à tona, a humidade do personagem que ele estava interpretando veio completa, não estava escondida nas próteses, elas foram abraçadas por isso.

Tara Hitchcock

Jared sobre improviso: Eu tenho essa tendência de improvisação mas eu sempre chego preparado porque as vezes você apenas pode destruir uma cena, perder tempo e as coisas podem sair do controle. Então eu chego com muita preparação, muitas ideias, e quando você trabalha em um personagem que conhece, sabe, Paolo é o tipo de cara que se importa muito com o que os outros pensam e ele está em uma posição que meio que está vendendo uma ideia. Quando ele vira e conserta isso, diz algo sobre o personagem. Eu me diverti muito com isso, como disse, e com certeza me apaixonei pelo personagem. Eu realmente apreciei a oportunidade e para mim é um sonho realizado.

Sobre colocarem Jared para baixo sobre suas ideias: Isso acontece o tempo inteiro. Se você tentar muito, falhará muito e o que é engraçado é que as vezes as pessoas estão certas mas outras vezes elas estão erradas, quero dizer, eu componho músicas e toco para as pessoas e elas ficam “nah, não é minha música favorita”, então eu lanço a música e torna-se um hit. Você tem que confiar em si, na sua voz interior. Eu me relacionei com o desejo de Paolo de fazer algo especial e compartilhar com o mundo. Passei grande parte da minha vida fazendo isso. Ele nunca teve a oportunidade de ser ouvido. Ele faz parte dessa família disfuncional o que eu acho que o público do mundo inteiro vai se divertir. Muitas pessoas não conhecem a história da Gucci, nem mesmo eu conhecia, é meio que chocante.

Regal

Jared: Eu trabalhei para a marca Gucci separadamente por anos e eu nunca soube da história dessa família até ler o roteiro. Eu aprendi muito, isso me mostrou coisas que eu nunca vi antes e me diverti bastante.

Abaixo estão as entrevistas do tapete vermelho que não traduzimos para não se tornar repetitivas demais e cansar a leitura, mas em todas elas, Jared basicamente fala de seu personagem Paolo ser um sonhador e o filme contar a história da dinastia mais maluca de uma marca famosa.

Abaixo, você pode conferir as imagens em HQ da premiere House Of Gucci que aconteceu no dia 9 desse mês em Londres.

Publicado por Bianca em 13/nov/2021

COMENTÁRIOS

%d blogueiros gostam disto: