Jared Leto entrevista sua companheira de elenco Adria Arjona, do filme Morbius

Em março de 2021, saiu a edição da Interview Magazine com a atriz Adria Arjona na capa e junto a ela, uma entrevista exclusiva que Jared fez com ela. Confira abaixo a tradução em pt-br.

[…] Quando questionada sobre quem ela interpreta ao lado do cientista que virou vampiro interpretado por Jared Leto como protagonista, Arjona permaneceu propositalmente vaga. (A resposta é Martine Bancroft, namorada de Morbius e uma cientista por seus próprios méritos.) Morbius estava programado para chegar aos cinemas em julho de 2020 passado, mas foi adiado para março de 2021, depois para outubro de 2021, depois finalmente para janeiro de 2022, por conta da pandemia e o fechamento da maioria dos cinemas. A pandemia também forçou Arjona a fazer uma pausa pela primeira vez na vida. Como filha de cantor e compositor guatemalteco Ricardo Arjona, ela passou sua juventude cruzando a América Latina como um membro de fato do road-show de seu pai, vendendo mercadorias e até mesmo administrando o palco enquanto o via tocar para multidões cada vez maiores. 

JARED LETO: Onde você está agora?

ADRIA ARJONA: Estou na Guatemala, no estúdio de gravação do meu pai.

LETO: Eu literalmente acabei de sair do estúdio de gravação. Como está seu pai?

ARJONA: Ele está bem. Acho que ele sente falta da multidão, mas fora isso, ele está indo muito bem. É o único ano de folga que ele já teve.

LETO: Você cresceu na estrada ou ele te manteve longe disso?

ARJONA: Eu estava no meio disso. Vivi em um ônibus de turismo a maior parte da minha vida. Ele estava tocando em shows muito pequenos e ele apenas nos puxava para todos os lados.

LETO: Eu entendo, porque eu passei muito tempo em ônibus de turnê, mas pensar em uma criança correndo por aí em turnê é incrível. E seu pai é uma lenda. Ter este ícone feito por você mesmo como um pai pesa sobre você?

ARJONA: Sim e não. Quando estou com ele, ele é meu pai, e quando estou longe dele e ouço a maneira como as pessoas falam sobre ele, ou quando ouço sua música, eu realmente sinto, tipo, “Caramba, esse é o meu pai.” Meu sobrenome às vezes pesa sobre mim, mas carrego-o com orgulho. Não sei se algum dia alcançarei seus padrões, mas tentarei.

LETO: Tenho certeza que ele está muito orgulhoso de todo o ótimo trabalho que você tem feito. É uma época tão louca, não é? Como foi o ano passado para você?

ARJONA: Tem sido um pouco de tudo. No início, houve pressão para ser produtivo, porque tudo que eu via on-line era tipo, “Faça este treino e agora faça isso, e você deveria estar pintando, e deveria estar fazendo isso”. Mas tenho trabalhado tanto nos últimos anos que muitas coisas me pegaram e tive tempo para processá-las. Foi muito difícil, mas agora me sinto muito mais leve. Eu fui capaz de crescer como pessoa com todas as merdas que eu estava deixando de lado. Tenho um trabalho que estou fazendo em janeiro e tive a sorte de receber os roteiros com cinco meses de antecedência, o que nunca acontece. Então, eu tenho isso para esperar.

LETO: O que você irá fazer em janeiro?

ARJONA: Estou fazendo um programa de Star Wars para a Disney.

LETO: Isso é incrível. Amei The Mandalorian. Descobri na quarentena e gostei muito. Fui ver o primeiro Star Wars no cinema. Não é loucura? Mas de qualquer maneira, conte-me sobre o seu Star Wars . É ultrassecreto?

ARJONA: Star Wars é sempre ultrassecreto, mas posso dizer que é a sequência de Rogue One, e é com Stellan Skarsgård, eu e Diego Luna. Nunca estive tão nervosa. Quase quero que dezembro seja o mês mais longo da minha vida, porque começa em janeiro.

LETO: Esses caras são incríveis. Você já se sentiu intimidada ou pasma com um elenco?

ARJONA: Fiquei muito intimidada quando estávamos atuando juntos. Um pouco antes da nossa primeira cena, mostrei ao Daniel [Espinosa, o diretor da Morbius] minha mão, e ela não parava de tremer. Mas fora da tela tudo bem. Somos dois seres humanos normais. Acontece que somos atores, e que as pessoas glorificam atores e músicos, mas ainda somos humanos.

LETO: Antes de deixar de mencionar, eu me diverti muito trabalhando com você. Mas é um grande fardo estrelar um filme como esse, e às vezes essas coisas não são as mais fáceis de fazer. Havia muita técnica, mas você teve um desempenho maravilhoso.

ARJONA: Isso significa muito vindo de você.

LETO: Seu programa de Star Wars continua indefinido ou é um contrato único? Como está sendo seu 2021?

ARJONA: É um pouco difícil dizer. Eu realmente quero voltar ao cinema independente, o que é um pouco mais complicado agora. Tenho alguns filmes aos quais estou apegada, mas eles são independentes, então ore por mim, eu acho.

LETO: Há toda uma vertente de filmes que costumavam fazer e que as pessoas queriam financiar, e se tornou um caminho muito difícil. Muitos desses tipos de filmes se transformaram em séries limitadas.

ARJONA: Por mais que eu queira estar em uma série limitada, ainda quero lutar por esses pequenos filmes. Eu quero criar um nome para mim para que eu possa fazer um pequeno filme como esse. Eu acredito no cinema. Como você se sente com isso?

LETO: É bom poder correr um grande risco e fazer algo um pouco menos convencional, e que filmes sejam assistidos em um teatro de forma comunitária é realmente especial. Espero que sobreviva, e não só aos grandes filmes, mas também aos documentários, aos filmes independentes. Acho que há espaço para tudo, mas as pessoas gostam dessas peças de formato mais longo porque conhecem os personagens e podem mergulhar um pouco mais fundo. Eu acho que há algo realmente mágico nisso também. O bom é que não existe mais estigma. Quando comecei, você era ator de TV ou de cinema. E agora, isso acabou completamente.

ARJONA: Um ator é um ator.

LETO: Lembro-me de quando era mais jovem, ou você fazia filmes independentes, ou fazia blockbusters, ou fazia TV. Foi muito fragmentado. Mas eu gostei do que disse. Um ator é um ator, e é bom que as pessoas possam fazer coisas diferentes. Você faria música?

ARJONA: Não. Tenho um bom ouvido, mas não posso cantar.

LETO: Não acredito nisso. Você tem uma voz um pouco rouca e aposto que sabe cantar lindamente. Mas eu entendo fazer seu próprio caminho. E cantar é como qualquer coisa – você tem que ser compelido.

ARJONA: Eu sou uma estrela pop frustrada, com certeza. Crescendo, eu queria ser a próxima Britney Spears ou a próxima Christina Aguilera. Mas não sei cantar e sou muito tímida para tentar.

LETO: Bem, talvez você possa interpretar uma estrela pop em um filme e será uma boa desculpa para cantar e dançar. É incrível quanto tempo faz desde que filmamos Morbius, não é?

ARJONA: Podemos assistir juntos?

LETO: Oh Deus, você poderia imaginar as palmas das mãos suadas e a energia nervosa naquela sala? Eu estaria pirando. O que você achou de ter feito aquele filme maluco? Foi tão selvagem.

ARJONA: Foi. Lembro de ter conhecido você e nos demos bem. E então eu estava animada pensando que iria trabalhar com Jared Leto. Mas rapidamente percebi que não iria trabalhar com Jared Leto. Eu estaria trabalhando com o Dr. Morbius. Foi um grande master class para mim, acompanhando sua dedicação. Eu nunca tinha experimentado isso antes. Cada vez que você pisava no set, a vibração mudava. Você sempre trouxe a história primeiro, o que eu apreciei.

LETO: Temos que encontrar algo que possamos fazer juntos novamente, algo onde possamos nos divertir muito e enlouquecer. Eu estava assistindo Malcolm & Marie, com Zendaya e John David Washington fizeram durante o COVID, e são apenas duas pessoas em uma casa, em um relacionamento, perdendo a cabeça. É muito divertido. Estou ansioso para ficar louco com você em algum momento no futuro. E a boa notícia que sai do COVID é que todo mundo assistiu a todos os filmes e programas de TV e todas as séries limitadas já feitas, então estamos todos morrendo de vontade de novos conteúdos. Então, prepare-se para continuar trabalhando muito, porque vamos precisar de muito mais Star Wars.

Fonte: Interview Magazine

Share
Publicado por Bianca em 16/maio/2021

COMENTÁRIOS

%d blogueiros gostam disto: